banner_1

Traumas bucais demandam atenção por parte dos desportistas.

Atletas podem proteger a área bucal com placas especiais, confeccionadas em consultórios odontológicos

Difícil encontrar uma modalidade esportiva que não haja o perigo da ocorrência de traumas bucais. Nos esportes de contato, por exemplo, o atleta está sujeito a traumatismos de diversas naturezas e em diferentes níveis de complexidade. Traumas bucais podem ocasionar desde um ferimento simples em tecidos moles (principalmente nos lábios), fraturas mais severas e até avulsões (perda dentária). Simplificadamente, os traumatismos dentários podem ser classificados de acordo com o tecido que acometem: o próprio dente ou os tecidos que o circundam.

O dente pode ser afetado em diferentes níveis: apenas esmalte, esmalte e dentina, fratura envolvendo a polpa dental e até cemento (raiz). O tecido de suporte também poderá ser afetado, ocasionando diferentes tipos de luxação ou até avulsão dentária, quando o dente é perdido por inteiro. As variadas situações traumáticas demandam diferentes condutas terapêuticas.

As consequências do trauma variam de acordo com a severidade da lesão. Traumas dentários leves demandam uma simples colagem de fragmento ou restauração, com pouco prejuízo estético. Traumas envolvendo a polpa dental demandam, normalmente, tratamento endodôntico seguido de abordagem restauradora ou protética. Situações mais complexas – deslocamento do dente do seu local original – podem levar a perdas dentais nos casos mais complexos.

Os cuidados pós-trauma se resumem à recuperação do fragmento dental e a avaliação da condição, a princípio, pelo próprio atleta. Em traumas onde se constata um dano substancial (trauma ósseo com luxação ou perda de parte importante do dente) é recomendado contatar imediatamente o cirurgião-dentista, levando consigo o fragmento (ou o dente todo) dentro de um copo de água, leite ou soro para manter sua hidratação. No consultório, o profissional tomará a conduta necessária, que poderá ser desde uma colagem simples do fragmento, uma estabilização ou até uma reimplantação do dente.

Prevenção – Normalmente os atletas podem se proteger de traumas bucais através dos chamados “protetores bucais esportivos”. Esses dispositivos são comumente utilizados em esportes de grande contato e podem ser classificados em 3 tipos: a) protetores de estoque ou universais; b) protetores pré-fabricados e c) protetores feitos sob medida. O primeiro deles é vendido em lojas de esporte e consistem em placas de tamanho padrão e não oferecem nenhum tipo de ajuste individual. O segundo tipo é similar ao primeiro, exceto que são placas termoformadas, ou seja, podem ser plastificados em água quente e tomam a forma dos dentes do indivíduo quando sobrepostos a eles. O terceiro tipo é o mais individualizado, feito em consultório dental pelo profissional e seu técnico de laboratório de prótese. É capaz de copiar fielmente os dentes e arcada do atleta para máximo conforto e proteção, minimizando efeitos negativos na fala e respiração.Sempre que se inicia a prática de esportes, é fundamental procurar o profissional dentista para que ele indique a melhor opção para o atleta.

Publicado por Pablo Henrique Asenjo de Macedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *