qual seu preço

Qual é o seu preço?

Confira abaixo a terceira matéria da nossa série sobre gestão de consultório!
Uma das dificuldades de quem ingressa no mercado de trabalho: como formar o preço? Deve-se levar em conta uma série de fatores, como a concorrência, o público-alvo, a localização do consultório, o interesse na fidelização do cliente e a tecnologia utilizada. Os custos devem ser analisados. Existem dois tipos principais que o empreendedor tem que levar em conta: os fixos, que são os custos gerais do consultório e independem de quantos serviços forem realizados (aluguel, salário dos funcionários, depreciação dos equipamentos etc.); e os variáveis, relacionados diretamente a cada serviço realizado, como material odontológico e protético.
Para chegar ao preço final, o dentista deve listar todos os custos fixos do seu consultório, dividi-los pelo número de horários de atendimentos disponíveis, determinar seus custos variáveis por procedimentos e acrescentar a margem de lucro esperada. A soma de todos os valores será o preço final.
Quem não tem estrutura financeira para contratar uma consultoria, pode apostar em cursos on-line. Outra opção é o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Em São Paulo/SP, a entidade, em parceria com o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (Crosp), realiza o programa Dentista Empreendedor, que tem como objetivo oferecer orientações aos cirurgiões-dentistas e profissionais da área sobre gestão empresarial e empreendedorismo por meio da realização de palestras, oficinas e atendimentos. O site das duas instituições disponibiliza cursos de educação à distância em variadas áreas, como finanças e marketing e planejamento.
Publicado por FGM Interativa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *