Pesquisadores descobrem ligação entre bactérias bucais e AVC

Micro-sangramentos cerebrais (Cerebral microbleeds/ CMBs) têm chamado a atenção como sendo um importante marcador preditivo de acidente vascular cerebral em vários estudos. Uma pesquisa feita em Kyoto, no Japão, sugere ainda que a Streptococcus mutans, um tipo de bactéria bucal associada à cárie dentária, esteja envolvida no desenvolvimento dos micro-sangramentos. Buscando esclarecimentos sobre a conexão, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Medicina de Kyoto descobriu agora que a S. mutans positiva é um novo fator de comprometimento cognitivo associado aos CMBs e, portanto, pode estar associada a distúrbios como acidente vascular cerebral e demência.

Com o objetivo de compreender o significado clínico dos CMBs e os mecanismos de sua produção, os pesquisadores examinaram a presença ou não da proteína Cnm de superfície de colágeno de ligação expressa em cnm-positivo S Mutans na saliva de 279 pacientes (idade média de 70 anos). Além disso, avaliaram a função cognitiva, o estado de saúde dentária e a prevalência de CMB de cada um. O exame oral incluiu o número de dentes remanescentes, a presença ou ausência de cárie dentária e o estado periodontal dos participantes.

No grupo de estudo, 94% dos testes deram positivo para S. mutans, 33%  de S. mutans positivo para cnm e 25% mostraram atividade de ligação ao colagenio associada a S. mutans. A ressonância magnética do cérebro detectou CMBs em 73 participantes (26%). Quanto ao exame odontológico, 31% dos participantes tiveram cárie dentária e 28% obtiveram um Código 3 ou superior no Índice Periodontal Comunitário de Necessidades de Tratamento. O número médio de dentes remanescentes foi de 22,7 ± 7,5.

As análises mostraram que o S. mutans cnm-positivo foi detectado mais frequentemente entre os participantes com CMBs do que aqueles sem. Além disso, foi observado que a porcentagem de pacientes com cárie dentária foi significativamente maior no grupo com atividade de ligação ao colágeno.

Segundo os pesquisadores, os achados sugerem um mecanismo molecular para a interação entre infecções bucais crônicas e distúrbios geriátricos, como acidente vascular cerebral e comprometimento cognitivo. A fim de esclarecer a causalidade,  enfatizaram que um estudo de intervenção focado em cuidados bucais e microbiota em indivíduos CMB seria interessante. Como os dados atuais suportam a idéia da importante influência da microbiota bucal sobre a doença neurológica, eles também pediram uma melhor colaboração entre pesquisadores dentais e médicos.

O estudo, intitulado “Oral cnm-positive Streptococcus mutans expressing collagen binding activity is a risk factor for cerebral microbleeds and cognitive impairment“, foi publicado online em 9 de dezembro na revista Scientific Reports.

Leia o artigo na íntegra em inglês aqui.

Fonte: DentalTribune e DentalPress

FGM Interativa

Adicionar comentário