CIOSP 2017: FGM lança resina composta de última geração

resina-composta-vittra-aps-lançamento-2017

Nova resina composta Vittra APS: lançamento da FGM no CIOSP 2017. Foto: Rodrigo Zaim

 

Todo CIOSP é uma excelente oportunidade para apresentar ao público os mais modernos lançamentos do universo odontológico. Na edição 2017, a FGM apresenta ao mercado a nova Vittra APS: uma resina composta fotopolimerizável de última geração com a exclusiva tecnologia APS (Advanced Polymerization System).

Desenvolvido considerando as principais tendências da odontologia mundial, a Vittra APS possui propriedades físicas e mecânicas comparáveis às dos melhores produtos do mercado global. Associadas a uma estética de nível superior, ela atende a restaurações em dentes anteriores e posteriores.

Quer conhecer um pouco mais das características da Vittra APS? Veja abaixo todos os motivos que a tornam uma resina única e de altíssima performance.

 

blog_vittra-01SURPREENDA-SE: UMA RESINA À ALTURA DA SUA EXIGÊNCIA.

Vittra APS é uma resina composta fotopolimerizável de última geração. O produto foi desenvolvido considerando as tendências mais recentes da odontologia mundial nas quais praticidade e tecnologia caminham a todo vapor. Suas propriedades físicas e mecânicas são comparáveis às dos melhores produtos do mercado e, associadas a uma estética de nível superior, atendem a restaurações em dentes anteriores e posteriores. Confira a seguir as características que tornam Vittra APS uma resina única e de altíssima performance.

NANOPARTICULADA:

Vittra APS é composta por cargas nanoesferoidais de zircônia que permitiram obter um compósito com excelentes propriedades mecânicas, excelente fluência no manuseio e marcante capacidade de abertura e manutenção do polimento e brilho. As cargas esferoidais são ainda a chave para maior resistência ao desgaste, pois atuam como defletores (ou “repelentes”) de impactos sobre a superfície. O tamanho médio das partículas fundamentais é de 200nm e conteúdo total de carga inorgânica na faixa de 73% em peso. Confira os estudos que comprovam a resistência e brilho de VITTRA APS.

vittra_1-01A dureza é uma propriedade mecânica que está diretamente ligada à resistência dos compósitos. Quanto maior a dureza, melhor a resistência. A resina Vittra APS apresentou uma dureza superficial superior a todos os demais materiais (ANOVA de 1 fator e teste de Tukey; p<0,05).

Dureza Knoop de diferentes resinas compostas (Médias KHN) (n=5): Rugosidade antes e após escovação simulada (Média) (n=10 por condição experimental)

Fonte: Carvalho E, Gutierrez F, Bauer M, Pailover P, Malaquias P, Reis A, Bauer J, Loguercio A. Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e Universidade Federal do Maranhão (UFMA), 2016 

Aumento de rugosidade após escovação

vittra_1-02

Quanto menor a rugosidade superficial após a ação da escovação, maior será a integridade, longevidade e brilho da restauração. A resina Vittra APS foi a única a não apresentar aumento da rugosidade superficial após a escovação simulada. resistência ao desgaste, pois atuam como defletores (ou “repelentes”) de impactos sobre a superfície. O tamanho médio das partículas fundamentais é de 200nm e conteúdo total de carga inorgânica na faixa de 73% em peso. Confira os estudos que comprovam a resistência e brilho de VITTRA APS.

Rugosidade antes e após escovação simulada (Média) (n=10 por condição experimental)

Fonte: Carvalho E, Gutierrez F, Bauer M, Pailover P, Malaquias P, Reis A, Bauer J, Loguercio A. Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e Universidade Federal do Maranhão (UFMA), 2016 Fonte: Pailover P, Malaquias P, Carvalho E, Gutierrez F, Bauer M, Reis A, Bauer J, Loguercio A. Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e Universidade Federal do Maranhão (UFMA), 2016.

Com a incorporação da nova tecnologia de polimerização da FGM, o APS (Advanced Polymerization System), apresentada na matéria da página 61, o compósito adquiriu incomparáveis propriedades óticas e mecânicas. Além de potencializar o processo de fotopolimerização, Vittra APS é a primeira resina nacional que não apresenta variação de cor e opacidade perceptíveis quando polimerizada, isto é, a cor do compósito antes de polimerizado é praticamente igual à cor após a polimerização, o que permite aos profissionais planejar uma restauração e avaliar os resultados em tempo real, antes de polimerizar. Outra grande vantagem clínica resultante da incorporação desse novo sistema de polimerização é a estabilidade sob luz ambiente, isso significa mais tempo para manusear a resina e esculpir seu trabalho com calma, sem perda de suas propriedades reológicas.

PROPRIEDADES ÓTICAS

vittra_1-03O ΔE indica a magnitude da diferença total de cor. Quanto menor o ΔE, menor a percepção visual do profissional em relação à diferença de cor dos compósitos antes e após a fotopolimerização. A resina Vittra APS apresentou a menor mudança de cor, sendo semelhante às resinas Estelite Quick e Filtek Z350 XT (ANOVA de 1 fator e teste de Tukey; p<0,05).

Média (ΔE) da cor antes e imediatamente após polimerização (n=3 por condição experimental). RESINA COMPOSTA VITTRA APS COMPARADA A OUTRAS RESINAS COMPOSTAS SEM O SISTEMA APS

Fonte: Malaquias P, Carvalho E, Gutierrez F, Bauer M, Pailover P, Reis A, Bauer J, Loguercio A. Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e Universidade Federal do Maranhão (UFMA), 2016.

TEMPO DE TRABALHO

vittra_1-04Este ensaio de calorimetria diferencial de varredura (DSC) foi realizado com a amostra exposta a uma fonte de luz com intensidade de 10.000 LUX, similar à luz emitida pelos refletores de equipamentos odontológicos. Sendo assim, este ensaio simula o tempo de trabalho que diferentes resinas apresentam quando da confecção de uma restauração na qual se usa a luz do refletor odontológico como iluminação direta. Percebe-se no gráfico de DSC que o sistema APS proporciona para a resina Vittra APS um maior tempo de trabalho (aproximadamente 8 minutos) quando comparado a concorrentes com sistemas iniciadores convencionais. A curva menos inclinada do compósito Vittra APS indica ainda que sua reação de polimerização é bem menos intensa que a dos demais produtos, confirmando sua menor sensibilidade a esta exposição de luz.

Fonte: Dados internos, FGM (2016).

SISTEMA DE CORES

vittra4-01O conceito de cores da resina Vittra APS tem o objetivo de organizar e simplificar toda a evolução das resinas compostas. Combinando equilibradas cores de efeito com cores que simulam a translucidez da dentina e do esmalte, o conceito permite fácil utilização e excelentes resultados clínicos. Seguindo uma tendência mundial apresenta um único matiz para dentina (universal) – matiz A Vita Classical com 7 opções de saturação. Levando-se em consideração que a dentina é o tecido responsável pela coloração dos dentes, é possível combiná-las com as resinas de esmalte e de efeito, que são mais translúcidas e obter naturalidade em todos os casos.

 

TOM OPALESCENTE

vittra_1-05 A opalescência é uma propriedade ótica do esmalte, observada principalmente nas bordas incisais relacionada à sua capacidade de transmitir seletivamente as ondas longas do espectro, dando ao esmalte aspecto com tonalidade alaranjada. Ao mesmo tempo em que reflete as ondas curtas, o que confere ao esmalte coloração azulada. Trata-se de uma propriedade importante porque dependendo se a luz incidente for transmitida ou refletida, o material restaurador apresenta tonalidades diferentes sob tal iluminação, simulando o que acontece num dente natural. Dessa maneira, a cor TRANS OPL que corresponde ao translúcido opalescente é o tom ideal para ser utilizado quando há necessidade de restaurar uma incisal de um dente anterior.

Efeito opalescente (resina Vittra APS Cor Trans OPL)

FLUORESCÊNCIA

Fluorescência é a capacidade que o dente tem em absorver radiação ultravioleta (tipo luz negra) e emitir essa radiação na faixa de luz visível dando um aspecto azulado. Assim é importante que o material restaurador possua essa propriedade compatível com o esmalte dentário para que o resultado estético seja o mais natural possível. Resinas não fluorescentes são detectadas como uma área escura quando expostas à luz ultravioleta.

 RESINA LIVRE DE BISFENOL-A BPA FREE

Seguindo uma tendência européia e preocupando-se com possíveis efeitos nocivos que alguns monômeros podem trazer ao organismo, a FGM lança a primeira resina brasileira livre de Bisfenol A (BPA), substância tóxica banida em diversas aplicações. Vittra APS é livre de Bis-GMA, Bis-EMA e Bis-DMA, monômeros que podem conter traços de BPA, ou então, que podem liberá-lo se sofrerem degradação. É a tecnologia em prol da saúde.

1 Comentário

Alberico alencar Villela Azevedo

Parabéns a FGM fico feliz que uma empresa nacional tenha seriedade e tecnologia muito obrigado pela atenção

Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *