Tratamento Estético Posterior

ARAUJO E.

Resumo:
 
Atualmente, a estética dental não se restringe aos dentes anteriores. A procura por dentes brancos no segmento posterior já é realidade no dia-a-dia dos cirurgiões-dentistas. Nesse sentido, encontram-se disponíveis no mercado, basicamente, dois tipos de materiais restauradores: as cerâmicas odontológicas e as resinas compostas. Por apresentarem diferenças inerentes à composição química, elas têm diferentes propriedades físicas e, conseqüente-mente, diferentes indicações, contra-indicações, vantagens e desvantagens. As cerâmicas odontológicas caracterizam-se por apresentar maior resistência e estética mais duradoura. São mais indicadas para reconstruções de maior extensão. Por outro lado, requerem mais tempo de tratamento e acarretam custo mais elevado. As restaurações de resina composta também propiciam boa resolução estética, requerem menos tempo de trabalho e constituem trata-mentos menos onerosos. Por apresentar baixa resistência ao desgaste, estão indicadas em reconstruções de menor extensão. De acordo com o tamanho médio das partículas de carga, as resinas compostas atualmente disponíveis são classificadas basicamente em: microparticuladas, microhíbridas e nanoparticuladas. Apesar de toda a evolução dos materiais restauradores, existem alguns detalhes e etapas do tratamento que são críticos e requerem, além de boa técnica, treinamento e atenção especial por parte do profissional. A reconstrução adequada de contatos oclusais e proximais é fundamental para a obtenção de bom desempenho em qualquer tratamento restaurador. O caso clínico selecionado para esta sessão demonstra a seqüência clínica de um trata-mento restaurador com resina composta, no segmento posterior de uma paciente jovem. Além do adequado resultado funcional e estético obtido, observe a simplicidade da técnica restauradora empregada.
 
Fonte: Clínica – Internacional Journal of Brazilian Dentistry. Florianópolis, v.3, n.4, p. 334-347, out.dez./2007.