Laminados cerâmicos para correção anatômica e fechamento de diastemas

Oscar Barreiros de Carvalho Junior, Humberto Carlos Pires, Ivan Pazzanollo e Maurício Harlos
Oscar Barreiros de Carvalho Júnior - Mestre e Doutor em Dentística e Materiais Dentários (FOB/USP-SP); - Professor da disciplina de Dentística (Funec Santa Fé do Sul-SP); - Professor de Cursos de Especialização e Atualização (IBEO São José do Rio Preto, APCD São José do Rio Preto, ABO Cuiabá, Porto Velho e CPO Presidente Prudente).Humberto Carlos Pires - Mestre em Dentística e Materiais Dentários (FOB/USP-SP); - Professor da Disciplina De Dentística (Unicastelo-SP); - Professor de Cursos de Especialização e Atualização (IBEO São José do Rio Preto-SP, APCD São José do Rio Preto-SP).Ivan Pazzanollo - Professor do Curso de Especialização e Atualização em Dentística (ABO Cuiabá-MT).Maurício Harlos - Professor do Curso de Especialização e Atualização em Prótese (ABO CUIABÁ-MT).

Paciente do gênero feminino, 23 anos de idade.

A QUEIXA

Excesso de espaço entre os dentes e incisivo central direito escuro.

ASPECTO INICIAL

Evidência de diastemas ântero-superiores.


 

O EXAME CLÍNICO/RADIOGRÁFICO

Diastemas entre os dentes ânterosuperiores, cor mais escura no elemento 11 (endodonticamente tratado) e maior largura M-D na região cervical do dente que na região incisal. Os diastemas eram grandes e aparentavam ser ainda maiores devido ao estreitamento da região cervical para a incisal. A paciente já havia feito clareamento previamente, porém o dente 11 continuava escuro.

 

O TRATAMENTO

Foi realizado tratamento restaurador através de laminados cerâmicos que demandam pequeno desgaste. No dente 11, devido ao escurecimento da estrutura, optou-se por um desgaste mais profundo além de reforço com pino intraradicular de fibra de vidro White Post (DC 2).