A importância da correta remoção de resíduos de cimento para bráquetes após o tratamento ortodôntico

Bruno Lippmann, Rafaella Ronchi Zinelli e Rafael Cury Cecato
Bruno Lippmann - Graduado em Odontologia pela Universidade da Região de Joinville (Joinville, SC); - Especialista em Ortodontia pelo Instituto Thum de Pós-graduação e Biopesquisas (Joinville, SC). Rafaella Ronchi Zinelli - Graduada em Odontologia pela Universidade Federal do Paraná (Curitiba, PR); - Especialista em Endodontia pelo Instituto Thum de Pós-graduação e Biopesquisas (Joinville, SC). Rafael Cury Cecato - Graduado em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) (Curitiba, PR); - Especialista em Periodontia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) (Curitiba, PR); - Mestrando em Odontologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC-SC) (Florianópolis, SC).

Paciente do gênero masculino, 34 anos de idade.

A QUEIXA

Manchas amareladas nos incisivos centrais superiores, atribuindo-as a um “clareamento insatisfatório” realizado há 19 anos.

ASPECTO INICIAL

Os dentes exibiam cor A1, e as manchas amareladas eram resíduos de cimento ortodôntico, que fora removido apenas parcialmente, interferindo na estética.


 

O EXAME CLÍNICO/RADIOGRÁFICO

Condição bucal saudável e dentes claros (coloração geral A1). Foi verificada a presença de remanescente de cimento resinoso de bráquetes nos dentes 11 e 21, o que trazia um aspecto negativo ao sorriso.

 

O TRATAMENTO

O remanescente de cimento foi removido cuidadosamente e o clareamento caseiro foi realizado com peróxido de carbamida 10% – Whiteness Perfect (FGM) durante 4 semanas, aplicado por 4 horas diárias.