Resina Opallis Flow como primeiro incremento de uma restauração direta de resina composta

Dr. Guilherme Garone e Dr. Américo Mendes Carneiro Junior
*Guilherme Martinelli Garone, Mestre em Dentística pela Universidade de São Paulo - SP; Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial pela Fundecto- USP-SP; Prof. de Dentística Restauradora da Universidade Cidade de São Paulo - UNICID; Prof. do curso de "Dentística Estética" e "Soluções Estéticas em Dentes Anteriores" da Fundecto- USP-SP **Américo Mendes Carneiro Junior, Mestre e Doutor em Dentística pela Universidade de São Paulo - SP; Professor Adjunto da Universidade Cidade de São Paulo, Coordenador da Disciplina de Materiais Dentários; ministrador de diversos Cursos de Aperfeiçoamento de Dentística Estética.

Utilização de Opallis Flow como primeiro incremento de uma restauração direta de resina composta

As resinas compostas Flow (Ex: Opallis Flow) tem inúmeras indicações de uso:

1. Restaurações ultra conservadoras;
2. Selante de fóssulas e fissuras;
3. Reparos em resina composta e cerâmica;
4. Colagem de fragmentos;
5. Primeiro incremento restaurador para qualquer tipo de cavidade a ser restaurada com Resina Composta.

Atualmente temos muito cuidado ao executar restaurações diretas em resina composta para evitar a tão temida sensibilidade pós-operatória. Muito se fala em técnicas específicas para a polimerização da resina composta, inserção da resina composta em pequenos incrementos, cuidados na aplicação dos adesivos dentários, entre outros. Esquecemos-nos que, muitas vezes, pelo simples fato de iniciarmos uma restauração de qualquer cavidade dental com uma resina composta Flow (Opallis Flow) temos uma mellhor adaptação do material restaurador ao elemento dental, devido ao seu maior escoamento, evitando assim falhas na interface resina/adesivo, o que muitas vezes pode gerar a uma sensibilidade pós- operatória.