Protocolo inferior com Implantes e Componentes Friccionais Arcsys

Prof. Dr. Rogério Goulart da Costa, Prof. Rafael Cury Cecato e Prof. Thiago Roberto Gemeli.
PROF. DR. ROGÉRIO GOULART DA COSTA: Doutor em dentística (PUC - PR - Brasil), Mestre em odontologia clínica (Universidade Positivo - PR - Brasil), Especialista em prótese dentária pela (UFPR - PR - Brasil), Pós-graduado em Oclusão e DTM (UFPR - PR - Brasil), Professor e coordenador do Curso Técnico em Prótese Dentária do Instituto Federal do Paraná (PR - Brasil) e Professor dos cursos de Especialização em Prótese Dentária e Implantodontia da Universidade Positivo (PR - Brasil). | PROF. RAFAEL CURY CECATO: Mestrando em odontologia - Área de concentração em implantodontia (UFSC - SC - Brasil), Especialista em periodontia (PUC - PR - Brasil) e Consultor científico sênior - Biomateriais - na empresa FGM Produtos Odontológicos (SC - Brasil). | PROF. THIAGO ROBERTO GEMELI: Mestrando em ortodontia São Leopoldo Mandic – Capinas – SP – Brasil, Especializando em implantodontia EPOG – Joinville – SC – Brasil, Especialista em Ortodontia ESO – FUBORTE São Paulo – SP – Brasil, Pós-graduado em cirurgia oral menor Florianópolis – SC – Brasil, Membro da Academia Brasileira do Sono, Consultor científico - Biomateriais - na empresa FGM Produtos Odontológicos (SC - Brasil) e Damon System Certified Provider – ORMCO - São Paulo – SP – Brasil.

TÍTULO: PROTOCOLO INFERIOR COM IMPLANTES E COMPONENTES FRICCIONAIS ARCSYS

FICHA
Paciente do sexo feminino, 52 anos de idade.
A Queixa
Desconforto da prótese total removível e busca por melhor estética e função.
Anamnese
Paciente edêntula há mais de 30 anos com bom estado de saúde geral. Avaliações complementares indicaram aptidez ao procedimento cirúrgico.
Planejamento
Substituição da prótese total inferior por protocolo. A dificuldade de aliar o melhor posicionamento dos implantes aos desejados trajetos de emergência dos intermediários induziu à utilização do Arcsys. Este, permite o refinamento angular que confere o paralelismo desejado para o melhor assentamento das próteses com múltiplos suportes.

INTRODUÇÃO

Desde que foram introduzidos por Branemark, implantes dentários têm sido amplamente utilizados para reabilitar pacientes edêntulos(1;2), contribuindo para significativa melhora da qualidade de vida destes indivíduos. Atualmente, dentre as opções propostas para reabilitação de pacientes totalmente edêntulos, a prótese híbrida tipo “protocolo”, semelhante àquela sugerida na década de 60 ainda é uma das mais efetuadas, frente às evidentes vantagens na relação custo-benefício proporcionada por tal técnica.

Tal terapia consiste em sustentar uma prótese total em implantes ancorados no tecido ósseo, e demonstra altos índices de sucesso(3;4;5), desde que respeitadas determinadas exigências como estabilidade inicial adequada (para carga imediata), passividade, braço de alavanca compatível com a ancoragem, possibilidade de apropriada higiene, assim como fornecer devidas orientações ao paciente.

Para que a estética da peça final e a possibilidade de higiene do paciente não sejam comprometidos, é essencial que os acessos aos parafusos estejam localizados em uma região entre a oclusal/incisal dos dentes e a borda lingual/palatina da prótese. Porém, caso o implante, por quaisquer motivos não esteja em sua inclinação ideal, a utilização de um intermediário angulado, de forma a corrigir sua angulação é imprescindível para atingirmos os objetivos supracitados. Além, empregando intermediários angulados nestas situações, percebe-se que é favorecida a distribuição das cargas mastigatórias, em comparação à utilização de um intermediário reto no mesmo cenário(6).

O uso de componentes angulados até 20 graus parecem estar dentro dos limites de tolerância do tecido ósseo(7), sugerindo que esta não será causa de reabsorção ao redor do implante/componente. Também, parece não haver diferença significativa entre componentes retos e angulados em relação à rotação, deflexão e torque necessário para desparafusamento(8).
Porém, a utilização de componentes pré-angulados não é a primeira opção dos clínicos, o que pode ser explicado pela maior dificuldade de manuseio, possibilidade de comprometimento estético e provável menor resistência mecânica.

Para tanto, o Sistema de Implantes Arcsys oferece a possibilidade de customizar a angulação dos intermediários protéticos, sem, no entanto, implicar nos prejuízos inerentes aos componentes pré-angulados, bastando customizar o direcionamento do componente imediatamente antes de sua ativação, conforme demonstrado no caso a seguir.

RELATO DO CASO

Paciente do sexo feminino, 52 anos; leucoderma, usuária de prótese dentária total superior e inferior desde os 18 anos, procurou atendimento na clínica insatisfeita com a instabilidade da prótese inferior. A última troca das peças foi feita há 3 anos e os tecidos moles apresentavam características saudáveis (Fig. Inicial). Desta forma, foi proposta uma reabilitação com prótese tipo protocolo para a arcada inferior e em um futuro próximo o mesmo tratamento para arcada superior.

O exame clínico revelou boas condições de saúde geral. Contudo, a critério de confirmação foram solicitados exames complementares: hemograma completo, glicemia em jejum, tempo de coagulação, tempo de protrobina e hemoglobina glicada.

O exame tomográfico da região em questão revelou boa qualidade e quantidade óssea para instalação dos implantes dentários (Figs. 01 a 03). Como as próteses apresentavam adequada função estética e manutenção da DVO, foi feito um guia multifuncional a partir da duplicação da prótese inferior (Figs. 04 e 05). A cirurgia foi realizada com a instalação de 5 Implantes Arcsys (FGM), com dimensões 3.8x11mm que tiveram estabilidade primária de 45N, orientados pelo guia multifuncional (Figs. 06 a 12).

Na sequência foi feito o posicionamento dos Referenciadores para avaliação da necessidade de angulação, onde se constatou necessidade em angular apenas um deles (Figs. 13 a 15).
De acordo com a profundidade dos implantes e espessura do tecido mucoso foram selecionados, instalados e ativados os pilares aparafusáveis Arcsys (FGM) de 2.5mm de transmucoso (Figs. 16 e 17).
Em seguida, Transferentes Multifuncionais Arcsys (FGM) foram posicionados, aparafusados e unidos com resina acrílica (Fig. 18). A moldagem foi realizada com material de moldagem à base de poliéter e o registro interoclusal foi complementando com resina acrílica sobre o guia multifuncional (Fig. 19).

A própria prótese total inferior foi utilizada para confecção da provisória, sendo unida a outros transferentes multifuncionais (funcionando como cilindro provisório) com resina acrílica autopolimerizável (Fig. 20).

Os análogos foram posicionados no molde de transferência, aparafusados e enviada ao laboratório para a confecção da barra protocolo. Em 48 horas a barra foi provada quanto à adaptação e passividade. No dia seguinte, a prótese final foi ajustada e instalada (Figs. 21 a 23).

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Os Implantes Arcsys propiciam uma grande versatilidade para os tratamentos reabilitadores por possuírem uma característica inédita em um sistema de implantes: a possibilidade do próprio cirurgião-dentista ou protético promover a angulação dos intermediários, permitindo o melhor planejamento e uma consequente maior previsibilidade para o sucesso do tratamento.

REFERÊNCIAS

1. Brånemark PI, Adell R, Breine U, Hansson BO, Lindström J, Ohlsson A. Intra-osseous anchorage of dental prostheses. I. Experimental studies. Scand J Plast Reconstr Surg 1969; 3: 81–100. | 2. Brånemark PI, Hansson BO, Adell R, Breine U, Lindström J, Hallén O et al. Osseointegrated implants in the treatment of the edentulous jaw. Experience from a 10-year period. Scand J Plast Reconstr Surg Suppl 1977; 16: 1–132. | 3. Maló P, Rangert B, MechEng, Nobre M. ‘All-on-Four’ Immediate-Function Concept with Branemark System Implants for Completely Edentulous Mandibles : A Retrospective Clinical Study. Implant Dent 2003; 5: 2–9. | 4. Randow K, Ericsson I, Nilner K, Petersson A, Glantz PO. Immediate functional loading of Brånemark dental implants. An 18-month clinical follow-up study. Clin. Oral Implants Res. 1999; 10: 8–15. | 5. Shigehara S, Ohba S, Nakashima K, Takanashi Y, Asahina I. Immediate Loading of Dental Implants Inserted in Edentulous Maxillas and Mandibles: 5-Year Results of a Clinical Study. J Oral Implantol 2015; 41: 701–5. | 6. Tian K, Chen J, Han L, Yang J, Huang W, Wu D. Angled abutments result in increased or decreased stress on surrounding bone of single-unit dental implants: A finite element analysis. Med Eng Phys 2012; 34: 1526–1531. | 7. Bahuguna R, Anand B, Kumar D, Aeran H, Anand V, Gulati M. Evaluation of stress patterns in bone around dental implant for different abutment angulations under axial and oblique loading: A finite element analysis. Natl J Maxillofac Surg 2013; 4: 46–51. | 8. Dixon DL, Breeding LC, Sadler JP, McKay ML. Comparison of screw loosening, rotation, and deflection among three implant designs. J Prosthet Dent 1995; 74: 270–8.