Otimizando a resolução cirúrgico-protética em área estética

Prof. Dr. Renato Savi de Carvalho
Prof. Dr. Renato Savi de Carvalho
Especialista, mestre e doutor em implantologia (USP - SP - Brasil), Graduação em odontologia (FOB/USP - SP - Brasil) e Professor dos cursos de especialização, mestrado e doutorado da Faculdade São Leopoldo Mandic (SP - Brasil)

TÍTULO: OTIMIZANDO A RESOLUÇÃO CIRÚRGICO-PROTÉTICA EM ÁREA ESTÉTICA

FICHA
Paciente do gênero feminino, 19 anos de idade.
A Queixa
Ausência de dente anterior.
Anamnese
Bom estado geral de saúde e ausência de doenças em curso.
Planejamento
Reabilitar o espaço protético priorizando a estética e a estabilidade. Para isso, planejou-se a individualização da angulação do componente, em razão da não coincidência de vetores entre a melhor solução protética, e o melhor posicionamento do implante. O Sistema Arcsys permite a simplificação de casos desafiadores.

INTRODUÇÃO

Reabilitações implanto-suportadas unitárias em áreas estéticas se configuram como um importante desafio clínico(1,2). Nestes casos, aspectos como ausência de espaço mesio-distal (entre raízes naturais) para a instalação do implante e acomodação da papila, bem como limitações da espessura óssea vestíbulo–palatina/lingual podem dificultar, ou até mesmo, inviabilizar a reabilitação através de implantes (3,4).

Em circunstâncias nas quais a disponibilidade óssea não representa fator de impedimento definitivo poderá, ao menos, comprometer a obtenção de máxima estética, uma vez que impede a instalação do implante na posição ideal sob o ponto de vista tridimensional caso nenhuma manobra prévia de enxertia seja realizada (5). Sabendo-se que esse posicionamento tridimensional é fator de alta relevância no sucesso estético de uma reabilitação implanto–suportada, deve-se, imprescindivelmente, considerá-lo como meta a ser atingida durante cada etapa do tratamento (6,7).

RELATO DO CASO

Paciente com 19 anos, gênero feminino, branca, não tabagista, boa higiene oral, apresentando agenesia do dente 12, desejava reabilitar área edêntula através de coroa implanto suportada. Anamnese evidenciou bom estado geral de saúde e ausência de doenças em curso.

Exames de imagem exibiram disponibilidade limitada de espaço mesio distal para instalação de implante osseointegrável – especialmente na região mais próxima aos ápices radiculares – sugerindo a instalação de um implante de diâmetro reduzido. Tomografia computadorizada e reconstrução 3D demonstraram ligeira depressão vestibular sem, contudo, inviabilizar a implantação.

Em etapa única foram instalados Implante Arcsys (FGM) 3.3x11mm, munhão angulável cimentável e coroa temporária. O conceito Arcsys de personalização do pilar protético nos permitiu adequar a angulação do intermediário em 12,5 graus otimizando a resolução protética em uma área de alta exigência estética. Após 60 dias foi realizada nova moldagem, confecção e cimentação de coroa cerâmica sobre o munhão impactado.

REFERÊNCIAS

1. Norton MR. Single-tooth implant-supported restorations. Planning for an aesthetic and functional solution. Dent Update. 2001 May;28(4):170-5. | 2. Tischler M. Dental Implants in the Aesthetic Zone. Dent Today. 2016 Jan;35(1):104-106. | 3. Veltri M, Ekestubbe A, Abrahamsson I, Wennström JL. Three-Dimensional buccal bone anatomy and aesthetic outcome of single dental implants replacing maxillary incisors. Clin Oral Implants Res. 2016 Aug;27(8):956-63. | 4. Arora H, Ivanovski S. Correlation between pre-operative buccal bone thickness and soft tissue changes around immediately placed and restored implants in the maxillary anterior region: A 2-year prospective study. Clin Oral Implants Res. 2016 Jul 29. | 5. Friberg B. Bone augmentation for single tooth implants: A review of the literature. Eur J Oral Implantol. 2016;9 Suppl 1(2):123-34. | 6. Orentlicher G, Abboud M. Guided surgery for implant therapy. Oral Maxillofac Surg Clin North Am. 2011 May;23(2):239-56. | 7. Arisan V1, Karabuda CZ, Mumcu E, Özdemir T. Implant positioning errors in freehand and computer-aided placement methods: a single-blind clinical comparative study. Int J Oral Maxillofac Implants. 2013 Jan-Feb;28(1):190-204.