O Uso da Macroabrasão em Caso de Hipoplasia de Esmalte

CANTEM GC.

Resumo:

A hipoplasia do esmalte é a formação incompleta ou defeituosa da matriz orgânica do esmalte, ocorrendo nas formas hereditária e ambiental e ocorre como resultado da lesão dos ameloblastos durante o desenvolvimento dos dentes. Esta lesão pode ser causada por uma série de distúrbios infecciosos e não-infecciosos, caracterizando-se por esmalte irregular, cujas áreas inicialmente surgem como estruturas opacas ou acastanhadas. Algumas vezes a área afetada pode ser superficial ou profunda, o que dificulta a técnica da microabrasão. Nesses casos, a macroabrasão é indicada, pois realiza um desgaste maior, que necessita da aplicação de resina composta. O paciente L. C., gênero masculino, 15 anos, compareceu a clínica odontológica da UEM, queixando-se da estética. Segundo relato da mãe, com 1 ano e 7 meses seu filho sofreu uma queda e que posteriormente o dente 21 apresentou-se com mancha hipocalcificada e hipoplásica. Foi realizada a microabrasão sem sucesso por tratar-se de uma mancha profunda. Optou-se então pela macroabrasão seguida de restauração com resina composta Opallis-FGM, cor DA2, EA2 e VH. Após uma semana, realizou-se o acabamento e polimento com discos Sof-Lex (3M) e disco de feltro associado à pasta de polimento (Diamond). Sendo assim, a técnica da macroabrasão é eficiente nos casos onde a microabrasão não obteve resultado satisfatório. Por ser uma técnica de baixo custo e conservadora quando comparada a realização de facetas, torna-se uma opção viável em casos de restabelecimento estético, proporcionando maior harmonia e naturalidade no sorriso.

 

Fonte: www.17ciopg.uepg.br