Intermediários anguláveis do sistema Arcsys fazem toda diferença para a reabilitação de próteses tipo Protocolo.

Prof. Dr. Rogério Goulart da Costa, Prof. Dr. Patricio Runnacles

INTRODUÇÃO

Os implantes dentários são uma realidade nos dias de hoje para reabilitação de pacientes edêntulos1;2, com a grande quantidade de empresas no mercado o valor dos implantes ficou muito acessível para os dentistas e pacientes. A melhora na qualidade de vida dos pacientes é simplesmente incomparável quando falamos nas diferenças entre uma prótese total e uma prótese tipo protocolo sustentado por implantes. Tanto pela inegável retenção, mas também pela melhor eficiência mastigatória e consequente melhora da autoestima.

Com advento de novas técnicas e novos sistemas de implantes ficou relativamente mais simples reabilitar. As possibilidades de angulação de implantes e componentes como na técnica “All on Four” ampliou os horizontes para cirurgião e paciente com altos índices de sucesso3;4;5, claro que, devemos respeitar as exigências mínimas como estabilidade primária adequada para carga imediata de pelo menos 35 N, passividade da barra, correta extensão do braço de alavanca distal que deve ser compatível com o posicionamento dos implantes instalados. A utilização de intermediários  angulados sempre foi um problema, a necessidade de corrigir angulação é muita das vezes essencial para atingirmos os objetivos de estética e função, uma vez que os mesmos são acompanhados em sua maioria por um parafuso passante o qual reduz a resistência destes componentes angulados. O emprego de componentes anguláveis favorecem a distribuição das cargas mastigatórias, em comparação à utilização de um reto no mesmo cenário.6

O Sistema de Implantes Arcsys possibilita customizar esta angulação  dos intermediários protéticos, sem, no entanto, implicar nos prejuízos inerentes aos componentes pré-angulados, bastando personalizar o direcionamento do componente imediatamente antes de sua ativação, conforme demonstrado no caso a seguir.

 

FICHA

Queixa principal: Dificuldade de se alimentar com a prótese total inferior.

Características do paciente: idade:  58 anos; sexo feminino; leucoderma.

Anamnese: Paciente com boas condições de saúde, portanto apta ao tratamento reabilitador.

Exame clínico:  A paciente era usuária de prótese total superior e inferior. Foi sugerido reabilitação nova PT superior e implante e protocolo inferior.

Exame radiográfico/tomográfico:  apresentou boa qualidade e quantidade óssea para instalação dos implantes dentários.

Planejamento:

Prótese total convencional superior e reabilitação com implantes dentários utilizando o Sistema Arcsys (FGM-Brasil) e confecção de prótese tipo protocolo inferior.

 

Relato de Caso

Paciente do sexo feminino, 58 anos; leucoderma, usuária de prótese dentária total superior e inferior desde os 25 anos, procurou atendimento  insatisfeita com a instabilidade da prótese inferior. A paciente não usava a PT inferior há 25 anos  (Fig 01). Desta forma, foi proposta uma reabilitação com prótese tipo protocolo para a arcada inferior e PT superior convencional.

O exame clínico revelou boas condições de saúde geral. Contudo, a critério de confirmação foram solicitados exames complementares: hemograma completo, glicemia em jejum, tempo de coagulação, tempo de protrobina e hemoglobina glicada. O exame tomográfico da região em questão mostrou boa qualidade e quantidade óssea compatíveis para instalação dos implantes dentários (Figs. 02 a 04). Foi feito todo o planejamento reabilitador: moldagem anatômica e funcional; registros intermaxilares, determinação de DVO, prova dos dentes e confecção de guia multifuncional). A cirurgia foi  realizada com a instalação de 5 Implantes Arcsys (FGM), com dimensões 3.8x11mm que tiveram estabilidade primária de 30N, orientados pelo guia multifuncional (Figs. 05 a 11). Os implantes distais foram angulados para propiciar uma melhor distribuição das forças possibilitando um maior comprimento posterior da barra (Figs. 12 e 13). Os implantes foram instalados 2mm infra-ósseo, apesar do exame tomográfico sugerir uma boa qualidade óssea, a medular era toda composta de osso tipo IV. Os implantes foram protegidos com os tapas de silicone para aguardar o período de osseointegração (Figs. 14 e 19). Quatro meses após instalação dos implantes procedeu-se a fase protética. Foi  feito  a reabertura e instalação dos cicatizadores multifuncionais (FGM) conforme a quantidade de tecido mole remanescente (Fig 20). Em seguida foram selecionados os pilares protéticos de acordo com o transmucosso  e referenciadores Arcsys (FGM) para avaliação da necessidade de angulação, onde se constatou necessidade em angular (Da esquerda para direita (12.5º; 0º; 3º;0º e 15º) (Figs. 21 a 24). De acordo com a profundidade dos implantes e espessura do tecido mucoso foram selecionados, instalados e ativados os pilares aparafusáveis anguláveis Arcsys (FGM) de 2.5mm de transmucoso (Fig 25). Em seguida, Transferentes Multifuncionais Arcsys (FGM) foram posicionados, aparafusados e unidos com resina acrílica auto polimerizável (Fig. 26). A moldagem foi  realizada com material de moldagem à base de silicone por adição e o registro interoclusal foi complementando com resina acrílica auto polimerizável sobre o guia multifuncional (Fig. 27). Os análogos foram posicionados no molde de transferência, aparafusados e enviado ao laboratório para a confecção da barra protocolo (Fig. 28). Em 48 horas a barra foi provada quanto à adaptação e passividade. No dia seguinte, a prótese final foi ajustada e instalada (Figs. 29 a 33).

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Os Implantes Arcsys propiciam uma grande versatilidade para os tratamentos reabilitadores por possuírem uma característica inédita em um sistema de implantes: a possibilidade do próprio cirurgião-dentista ou protético personalizar a angulação dos intermediários, permitindo o melhor  planejamento e uma consequente maior previsibilidade para o sucesso do tratamento.

 

Referências

 

  1. Brånemark PI, Adell R, Breine U, Hansson BO, Lindström J, Ohlsson A. Intra-osseous anchorage of dental prostheses. I. Experimental studies. Scand J Plast Reconstr Surg 1969; 3: 81–100.
  2. Brånemark PI, Hansson BO, Adell R, Breine U, Lindström J, Hallén O et al. Osseointegrated implants in the treatment of the edentulous jaw. Experience from a 10-year period. Scand J Plast Reconstr Surg Suppl 1977; 16: 1–132.
  3. Maló P, Rangert B, MechEng, Nobre M. ‘All-on-Four’ Immediate-Function Concept with Branemark System Implants for Completely Edentulous Mandibles : A Retrospective Clinical Study. Implant Dent 2003; 5: 2–9.
  4. Randow K, Ericsson I, Nilner K, Petersson A, Glantz PO. Immediate functional loading of Brånemark dental implants. An 18-month clinical follow-up study. Clin. Oral Implants Res. 1999; 10: 8–15.
  5. Shigehara S, Ohba S, Nakashima K, Takanashi Y, Asahina I. Immediate Loading of Dental Implants Inserted in Edentulous Maxillas and Mandibles: 5-Year Results of a Clinical Study. J Oral Implantol 2015; 41: 701–5.
  6. Tian K, Chen J, Han L, Yang J, Huang W, Wu D. Angled abutments result in increased or decreased stress on surrounding bone of single-unit dental implants: A finite element analysis. Med Eng Phys 2012; 34: 1526–1531.