Implante imediato em alvéolo palatino e Sistema Arcsys FGM: uma alternativa para o levantamento do seio maxilar

Prof. Dr. Renato Savi.

A perda de dentes em regiões póstero-superiores e subsequente atrofia alveolar por desuso pode representar relevante dificuldade para a instalação de implantes osseointegráveis. Isso, somado a pneumatização do seio maxilar – fenômeno comum a essas áreas – denota um desafio para o tratamento reabilitador baseado em osseointegração. Não raro, manobras prévias de levantamento do assoalho da cavidade sinusal, acompanhados de enxertia óssea, são imperativas a fim de viabilizar a instalação de implantes. Se por um lado tais abordagens possibilitam a instalação de implantes, por outro, agregam complexidade, custos e riscos ao tratamento.

Alguns casos podem apresentar, ainda, pneumatização do seio antes mesmo da perda do elemento dental. Isso acontece em áreas de dentes com raízes individualizadas e divergentes – como os primeiros molares superiores, onde uma extensão do seio pode se alojar entre as raízes – pneumatizando o septo ósseo interradicular. Tal situação, muitas vezes, impossibilita a instalação de implante septal (área ideal pois coincide com o centro da coroa dentária) imediatamente após a exodontia, obrigando o implantodontista a lançar mão de procedimentos de levantamento do assoalho coronalmente pneumatizado.

FICHA

Paciente do gênero feminino, 58 anos de idade.

A QUEIXA
Sensibilidade dolorosa provocada por fratura do dente 16. Edema gengival com drenagem purulenta.

ANAMNESE

Boa condição geral de saúde.

PLANEJAMENTO

Exodontia minimamente traumática com subsequente instalação de implante Arcsys no alvéolo correspondente à raiz palatina do dente 16. Preenchimento dos alvéolos vestibulares com fosfato de cálcio bifásico + hidroxiapatita (Nanosynt). Coroa temporária imediata. Reabilitação definitiva após a confirmação da osseointegração.

RELATO DO CASO

Paciente com 58 anos de idade, leucoderma, gênero feminino, apresentou-se à Clínica Renato Savi – Bauru SP, com intensa sensibilidade dolorosa, bem como edema gengival e abscesso com drenagem purulenta na região do dente 16. Exame clínico evidenciou tumefação gengival na região de papila entre os dentes 15 e 16, além de mobilidade dentária deste último em função de fratura corono–radicular.

FASE CIRÚRGICA

Exodontia com mínimo trauma (especial cuidado aos tecidos moles fragilizados pelo processo inflamatório em curso), inspeção, limpeza mecânica e irrigação alveolar com solução fisiológica seguida da instalação de implante Arcsys FGM no interior do alvéolo correspondente à raiz palatina. Elegeu-se esta área devido à pneumatização do seio maxilar para o interior do septo interradicular. No mesmo tempo cirúrgico a zona correspondente aos alvéolos vestibulares foi preenchida com fosfato de cálcio bifásico +  hidroxiapatita (Nanosynt) seguido da confecção de coroa protética imediata em resina acrílica. Nenhum acesso ao seio maxilar foi realizado.

FASE PROTÉTICA

Sessenta dias após a cirurgia para exodontia + instalação de implante e coroa provisória, procedeu-se a moldagem para transferência da posição do implante. No modelo de trabalho foi realizada a seleção do pilar protético, optando-se pelo munhão angulável Arcsys para coroas cimentadas. A personalizacão da angulação do referido munhão, bem como a confecção de infraestrutura em dissilicato de lítio foram realizadas sobre o modelo. Em nova etapa clínica, o pilar foi impactado em boca e a infraestrutura removida para remontagem e ceramização final.

Uma coroa protética em porcelana reforçada por dissilicato de lítio foi então cimentada sobre o munhão angulável.

CONCLUSÃO

A instalação de implante no sítio correspondente ao alvéolo palatino de molares superiores pode ser uma alternativa interessante para os procedimentos cirúrgicos de levantamento do seio maxilar.

O Sistema Arcsys FGM, através do seu conceito inovador de personalização da angulação dos pilares, proporcionou excelente resolução protética para um implante instalado fora do eixo central do dente 16.

REFERÊNCIAS

1. Savi de Carvalho R, Consolaro A, Francischone CE Jr, de Macedo Carvalho AP. Sinus augmentation
by orthodontic movement as an alternative to a surgical sinus lift: a clinical report. J Prosthet Dent.
2014 Oct;112(4):723-6.
2. Dragan E, Guillaume OA, Haba D, Olszewski R. Three-Dimensional Evaluation of Implant Positioning in
the Maxillary Sinus Septum: A Retrospective Study. Med Sci Monit. 2015 Sep 8;21:2666-71.
3. Dragan E, Odri GA, Melian G, Haba D, Olszewski R. Three-Dimensional Evaluation of Maxillary Sinus Septa for Implant Placement. Med Sci Monit. 2017 Mar 21;23:1394-1400.
4. Geminiani A, Tsigarida A, Chochlidakis K, Papaspyridakos PV, Feng C, Ercoli C. A meta-analysis of
complications during sinus augmentation procedure. Quintessence Int. 2017;48(3):231-240.
5. Scarano A. Traditional Postextractive Implant Site Preparation Compared with Pre-extractive
Interradicular Implant Bed Preparation in the Mandibular Molar Region, Using an Ultrasonic Device: A
Randomized Pilot Study. Int J Oral Maxillofac Implants. 2017 May/Jun;32(3):655-660.