Implante e provisionalização imediata para substituição de elemento dentário com fratura radicular e contaminação local

Dr. João Moretti Junior

 RESUMO

O avanço das técnicas cirúrgicas e da evolução dos implantes, mostraram que é possível a instalação, imediatamente, após a extração de elementos dentários. A presença de lesão crônica, não inviabiliza a instalação de implantes, uma vez que medidas pré e pós operatórias sejam tomadas. O presente relato de caso clínico tem a finalidade de descrever uma abordagem de implantação com provisionalização imediata, seguida da remoção do foco de infecção simultaneamente à extração dentária.

INTRODUÇÃO

A  instalação  de  implantes  imediatamente  após  a  exodontia  é  um  desafio  frequente nos consultórios. A razão para esse procedimento é a de reduzir o tempo de tratamento e o custo, preservar a altura, espessura óssea alveolar e a dimensão do tecido mole, promovendo um contato osso-implante3,6. A forma do  defeito  alveolar,  após  a  exodontia,  e  a  necessidade  de  5 mm  de  osso  apical  para  permitir  a  ancoragem  do  implante  determinará  o  planejamento  cirúrgico protético  a  ser  empregado1 .

Alguns fatores são considerados determinantes para a obtenção de resultado positivo; como a exodontia atraumática com preservação das margens ósseas do alvéolo durante a extração, limpeza criteriosa do alvéolo pós extração com remoção de todo o tecido contaminado,  a estabilidade primária do implante na porção apical ou ao longo das paredes do alvéolo, o cuidadoso controle do retalho tecidual, o fechamento estreito adaptado ao pescoço do componente do implante e o meticuloso controle de placa por todo o período de cicatrização4 .

Sabe-se que na região anterior da maxila há perda de 25% de volume ósseo o primeiro ano e de 40 a 60% de espessura até o terceiro ano pós exodontia2,5 . Por esse motivo, a realização de instalação imediata de implantes após extrações, tem se tornado rotina nos consultórios.

Outro achado pertinente, é a instalação de componentes protéticos imediatos juntamente com cirurgias plásticas periimplantares, reduzindo o tempo de tratamento, prevenindo recessões gengivais e minimizando a perda do remanescente ósseo e com isso, otimizando os resultados com relação à função e a estética, pois favorece a acomodação tecidual em torno do componente, sem a necessidade de uma prótese removível e uma segunda etapa cirúrgica.

O objetivo deste estudo é relatar um caso clínico com o uso da técnica de instalação imediata de implante e coroa provisória, juntamente com a utilização de biomaterial e tecido conjuntivo, após a exodontia de incisivo central superior direito com diagnóstico de fratura radicular e presença de contaminação local.

RELATO DE CASO

Paciente do sexo feminino, 55 anos de idade apresentava fratura longitudinal no elemento dentário 11, com presença de lesão e fístula na parede vestibular (Fotos 1, 2 e 3).

CONCLUSÃO

Para resultados ideais em casos com a instalação imediata, o cirurgião deve estar atento a estabilidade primária e limpeza efetiva do sítio contaminado. Quando da possiblidade de se utilizar componentes personalizáveis, a viabilidade protética é evidente, favorecendo os cuidados cirúrgicos tomados com os tecidos circunvizinhos, juntamente com a emergência mais natural da prótese. Atualmente, a estética determina o sucesso de reabilitações com implantes dentários, especialmente na região anterior da maxila.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  1. Barcelos MJ, Novaes Jr. AB, Conz MB, Harari ND, Vidigal Jr. GM. Diagnosis and treatment of extraction sockets in preparation for implant placement:report of three cases. Braz Dent J. 2008; 19:159-64.
  2. Carlsson GE. Changes in contour of maxillary alveolar process after extractions with ou without of na under immediate ful denture. Acta Odontol Scand, 1967; 25:21-43.
  3. Kan JYK, Roe P, Rungcharassaeng K, Patel RD, Waki T, Lozada JL et al. Classification of sagital root position in realation to the anterior maxillary osseous housing for immediate implant placement: a cone-beam computed tomography study. Int J Oral Maxillofac Implnats. 2011; 26(4):873-6.
  4. Lindhe J. Tratado de periodontia clínica e implantologia oral. Ed: Guanabara Koogan, 2005.
  5. Novaes Júnior AB, Vidigal Júnior GM, Novaes AB, Grisi MF, Polloni S, Rosa A et al. Immediate implants placed into infected sites: a histomorphometric study in dogs. Int J oral Maxillofac Implants. 1998; 13(3):422-7.
  6. Rosa JCM, Rosa ACPO, Rosa DM, Adolfi D, Canullo L, Pereira LAVD et al. Reconstrução dentoalveolar imediata. 1ª edição. São Paulo: Santos, 2010.