Coroa em compósito Brava Block CAD/CAM em sessão única

Prof. Rodrigo S. Reis e Profª. Michele Vivas.

Introdução

Com o advento da tecnologia CAD/CAM (computer-aided design/computer-aided manufacturing) para os consultórios, podemos realizar trabalhos de prótese fixa em sessão única na chamada “técnica chairside”, onde em uma consulta de aproximadamente 90 minutos todo trabalho é concluído. Com isso, o tempo de tratamento é reduzido significativamente, aumentando-se a conveniência para o paciente e a lucratividade para o dentista. Dentro desse conceito surgiram os blocos de compósito resinoso com cargas vitro-cerâmicas que se bem indicadas cumprem os requisitos de estética e função e, em muitos casos, possuem algumas vantagens sobre os materiais puramente cerâmicos. O objetivo deste artigo é fazer um relato ilustrado da substituição de uma coroa fraturada por uma coroa de compósito resinoso na tecnologia CAD/CAM “chairside”.

Relato do caso

Paciente do sexo masculino, 62 anos, apresentou-se à clínica dos autores com a coroa cerâmica do elemento 24 fraturada (Figs 1 e 2) e com um reparo provisório em resina composta feito, desejando substituí-la. O exame radiográfico mostrou tratamento endodôntico satisfatório e a presença de pino de fibra associado a um núcleo de preenchimento. Foi feita a remoção da coroa defeituosa e se observou pouco espaço interoclusal, além de manifestar parafunção (bruxismo cêntrico). Estas observações podem ter contribuído para a fratura da coroa cerâmica preexistente. O preparo sofreu um aumento de redução oclusal para prover um espaço em máxima intercuspidação habitual de aproximadamente 1.5 a 2.0 mm verificados através da indentação feita com lâminas de cera 7, dobradas entre o dente preparado e seu antagonista, sendo verificada por especímetro. Nenhum significativo desgaste axial foi realizado por apresentarem espessuras condizentes, porém com uma conicidade aparentando ser mais elevada que o ideal. O preparo apresentou um substrato levemente acastanhado na sua porção cervical (Fig. 3, 4 e 5). Foi realizado o escaneamento intraoral, um desenho da peça protética, e selecionado um bloco de compósito resinoso com carga vitro-cerâmica Blava Block HT (FGM) na cor A3 (Fig. 6) e realizada a fresagem do mesmo (Fig.7). Em 10 minutos, a coroa estava pronta. Após a prova em boca, a peça foi acabada e polida, valendo-se de diferentes pontas de borracha (associadas ao óxido de alumínio e partículas de diamante), discos flexíveis de feltro (Diamond Flex-FGM) e pastas abrasivas (Diamon Excel), permitindo a abertura de brilho e adequado lisura ao material (Fig 8, 9 e 10).

Para a cimentação adesiva, a peça foi tratada de acordo com as recomendações do fabricante do Brava Block sendo:

  • - Jateamento com óxido de alumínio
  • - Lavagem em cuba ultrassônica por 3 minutos
  • - Limpeza com álcool 70%
  • - Aplicação de Silano (Prosil –FGM) e espera de 1 minuto para volatização do solvente.
  • - Aplicação do adesivo (Ambar Universal-FGM), seguida de breve jato de ar (10 segundos) para evaporar o solvente e assegurar uma espessura de película fina e aspecto brilhoso da face interna da peça e fotoativação do adesivo.

Para o dente preparado foi realizado a aplicação de pedra pomes e água, lavagem, secagem, isolamento relativo e fricção de um adesivo universal autocondicionante (Ambar Universal- FGM) em todo preparo por aproximadamente 20 segundos com uma ponta aplicadora (Cavibrush-FGM). Logo depois, um breve jato de ar por 10 segundos faz o solvente evaporar. Uma vez verificada a manutenção de uma superfície brilhosa do preparo, foi feita a fotoativação do adesivo por 10 segundos através de um LED de alta potência. A coroa teve sua face interna forrada com um cimento dual (AllCem Core – FGM) na cor “Opaque Pearl” (opaco perolado) e cimentada sobre o dente preparado (Fig. 11). Após a remoção dos excessos de cimento foi feita a foto-ativação por 20 segundos em cada face. O resultado imediato pode ser visualizado nas figuras 12 a 16.

Discussão

Existem diversos tipos de cerâmicas e materiais híbridos para a tecnologia CAD/CAM. Nesse caso foi selecionado um compósito pelo fato do paciente apresentar coroa cerâmica fraturada e apertamento dental. Provavelmente, a diminuta espessura de cerâmica, devido ao espaço interoclusal, estar abaixo das exigências desse material, pode ter contribuído para a falha. Não havia a informação sobre o tipo de cerâmica nem sobre o protocolo adesivo realizado. A literatura apresenta vasta documentação com sucesso clínico de coroas fresadas em consultório. A conduta escolhida foi optar por uma coroa em compósito CAD/CAM (maior grau de conversão, melhores propriedades mecânicas e ausência de defeitos ou porosidades que resinas de laboratório) e a confecção de uma placa de mordida oclusal tipo “Michigan”.

A literatura também reporta que os materiais resinosos para CAD/CAM apresentam um comportamento de desgaste similar ao esmalte dental antagonista, um módulo de elasticidade similar ao da estrutura dental (sendo menos rígidos e friáveis que as cerâmicas). Dentre outras possibilidades comparativas, os materiais resinosos apresentam a possibilidade de reparos com resina composta, além da conhecida facilidade de polimento comparado às cerâmicas sem a necessidade de glazeamento e ciclos de tratamento térmico/cristalização (redução de tempo).

Para se mascarar o aspecto acastanhado foi escolhido o cimento AllCem Core de cor opaca perolada que de modo satisfatório cumpriu o objetivo, mesmo em se tratando de um bloco de alta translucidez (HT). Um bloco de baixa translucidez foi cogitado para recobrir a característica cromática do preparo, mas o sorriso baixo do paciente permitiu obter um resultado satisfatório , uma vez que o lábio superior cobre a porção vertical da peça.

Conclusões

No caso clínico apresentado observamos que o emprego do Brava Block na técnica CAD/CAM “Chairside” pode, de modo simples e ágil, atender aos requisitos estéticos e funcionais em coroas sobre dentes, se tornado uma alternativa viável à prática clínica diária.

Leitura Sugerida

  1. Peumans M, Valjakova EB, De Munck J, Mishevska CB, Van Meerbeek B. Bonding Effectiveness of Luting Composites to Different CAD/CAM Materials. J Adhes Dent. 2016;18(4):289-302.
  2. Hussain B, Thieu MKL, Johnsen GF, Reseland JE, Haugen HJ. Can CAD/CAM resin blocks be considered as substitute for conventional resins? Dent Mater. 2017 Sep 23. pii: S0109-5641(17)30120-3.
  3. Zimmermann M., Koller C, Reymus M, Mehl A, Hickel R. Clinical Evaluation of Indirect Particle-Filled Composite Resin CAD/CAM Partial Crowns after 24 Months. J Prosthodont. 2017 Apr 19. doi: 10.1111/jopr.12582. [Epub ahead of print).
  4. Kassotakis EM, Stavridakis M, Bortolotto T, Ardu S, Krejci I. Evaluation of the Effect of Different Surface Treatments on Luting CAD/CAM Composite Resin Overlay Workpieces. J Adhes Dent. 2015 Dec;17(6):521-8.
  5. Park JH1, Choi YS1. Microtensile bond strength and micromorphologic analysis of surface-treated resin nanoceramics. J Adv Prosthodont. 2016 Aug;8(4):275-84.
  6. Chen C1, Trindade FZ2, de Jager N3, Kleverlaan CJ3, Feilzer AJ3. The fracture resistance of a CAD/CAM Resin Nano Ceramic (RNC) and a CAD ceramic at different thicknesses. Dent Mater. 2014 Sep;30(9):954-62.