Clareamento dental em dentes manchados por tetraciclina

Doutor Rafael Cury Cecato e Doutora Rafaella Ronchi
Rafael Cury Cecato: Graduado em Odontologia pela PUC (PR) / Especialista em Periodontia pela PUC (PR) / Rafaella Ronchi: Graduada em Odontologia pela UFPR / Especialista em Endodontia pelo Instituto Thum de Pós-Graduação e Biopesquisas - Joinville (SC)

Desde que foi preconizado e difundido no final da década de 80, o clareamento caseiro supervisionado tem sido o mais indicado e estudado dentre as demais técnicas, por sua segurança e confiabilidade de resultados.

Dentre as diversas etiologias de escurecimento dentário, a ingestão de tetraciclina durante a odontogênese tem sido considerada como uma das mais desafiadoras no tratamento de clareamento dental. Seu prognóstico pode ser favorável, dependendo da localização e coloração das manchas. Tais manchas são classificadas como intrínsecas, ou seja, ocorrem quando o indivíduo entra em contato com o antibiótico por via sistêmica durante o desenvolvimento dos órgãos dentais.

Os períodos mais críticos para ingestão de tetraciclina são: dentes decíduos – 04 meses intrauterino a 5 meses de vida e dentes permanentes – 04 meses a 7 anos de vida. Além do período de administração, as alterações de cor dependem de fatores como dose e tempo de administração. Sua causa é associada à afinidade que esta possui com tecidos em mineralização (dentes e ossos), formando cadeias moleculares longas e complexas pela reação ocorrida entre o antibiótico e os cristais de apatita, causando aumento no índice de absorção da luz pelo dente e resultando no escurecimento.

As manchas podem ocorrer em dois momentos: fase pré e pós-eruptiva. Na primeira, são classificadas de I a IV, dependendo da severidade (ordem crescente). Na segunda, manchas mais brandas ocorrem pela afinidade da substância a proteínas sanguíneas e ao colágeno presente na polpa. A técnica de clareamento caseiro supervisionado com peróxido de carbamida 10% por 24 semanas consecutivas tem sido preconizada como alternativa segura de clareamento e/ou melhora significativa das manchas por tetraciclina e apresenta estabilidade de cor por até 90 meses pós-clareamento.

Relato de caso

No caso apresentado, o paciente D.V.R.F., sexo masculino, 37 anos, leucodermo, procurou atendimento odontológico com objetivo de clarear seus dentes. Durante a anamnese, foi relatado que houve ingestão de antibiótico durante idade compatível com a odontogênese. No exame clínico, foram detectadas manchas típicas causadas pela ingestão de tetraciclina durante a osteogênese, confirmando o diagnóstico. O paciente relatou tentativa de clareamento caseiro convencional há um ano, porém sem sucesso. As manchas foram classificadas como classe III, sendo o prognóstico para clareamento considerado duvidoso.

A proposta do tratamento foi o clareamento caseiro supervisionado utilizando o peróxido de carbamida a 10% (Whiteness Perfect 10% – FGM) por 06 meses consecutivos com aplicações de 04 horas diárias. Estas deveriam ocorrer apenas com o paciente acordado, para melhor controle de tempo de aplicação e diminuição da deglutição do gel.

O paciente foi informado que o prognóstico seria incerto e provavelmente as manchas não seriam removidas em sua totalidade, porém, com excelentes chances de amenizar os tons mais escurecidos nas porções cervicais. Os acompanhamentos foram realizados a cada 15 dias para averiguação de efeitos colaterais como hipersensibilidade ou irritação no epitélio gengival.

Após 03 meses de tratamento, já se observa alteração significativa das manchas. Optou-se neste momento por uma sessão de clareamento no consultório com peróxido de hidrogênio 35% por 45 minutos, em única sessão (Whiteness HP 35% – FGM), apenas nas manchas cervicais mais evidentes, com o intuito de equilibrar a tonalidade entre as porções cervical e média/incisal das coroas dentárias.

Após 06 meses, nenhum efeito colateral foi identificado. Constatou-se que o resultado confirmou a proposta inicial e satisfez a necessidade do paciente, com clareamento dos dentes envolvidos e diminuição significativa das manchas escuras cervicais, sem qualquer procedimento invasivo.

Conclui-se que a técnica de clareamento caseiro supervisionado por tempo prolongado até 06 meses com peróxido de carbamida 10% é uma excelente opção para atenuar e/ou eliminar manchas dentárias causadas por ingestão de tetraciclina ocorrida durante a odontogênese, desde que bem conduzida pelo profissional.