Clareamento dental com Whiteness HP: Associação de técnicas sem o uso de fontes de luz

Prof. Dr. Américo Mendes Carneiro Junior, Prof. Dr. Renato Carlos Burger, Prof.Dr. Guilherme Martinelli Garone, Rafaela Pagin Lourenço
Prof. Dr. Américo Mendes Carneiro Junior Mestre e Doutor em Dentística pela FO-USP Professor da UNICID de Escultura Dental e coordenador de Materiais Dentários Coordenador de cursos de Dentística Estética Prof. Dr. Renato Carlos Burger Mestre e Doutor em Dentística pela FO-USP Pós-graduado em Cirurgia Oral pela UNICASTELO Especialista em Implante Prof.Dr. Guilherme Martinelli Garone Mestre e Doutor em Dentística pela FO-USP Rafaela Pagin Lourenço Mestranda em Dentistica pela São Leopoldo Mandic Cursando especialização em implantodontia - CIODONTO

Pela busca por um ideal estético, é comum os pacientes pedirem não apenas dentes mais brancos, mas também alinhados e com formato harmônico. Isso pode ser justificado com o aumento da concorrência no mercado de trabalho, a aparência tem-se mostrado muito importante e com isso o sorriso altamente valorizado. Dentes mais claros podem passar uma imagem aparente de higiene e status social.

O clareamento dental vem sendo um tratamento de primeira eleição, não apenas por ser conservador, mas também por apresentar resultados satisfatórios rápido. O clareamento dental foi descrito inicialmente na literatura em 1989, ganhando popularidade e aceitação profissional.

Hoje temos 3 técnicas principais de clareamento para dentes vitais, para serem utilizadas com supervisão do cirurgião-dentista:

A – clareamento com moldeira utilizando clareadores com concentração mais baixa, como Whiteness Perfect (Peróxido de carbamida a 10, 16 ou 22%) e White Class com cálcio (Peróxido de hidrogênio a 6 ou 7,5%)

B – Clareamento de consultório utilizando géis de peróxido de hidrogênio com concentrações de 20 a 35% (Whiteness HP e Whiteness HP Maxx – 35%; Whiteness HP Blue 20 ou 35%)

C – Associação das 2 técnicas, na procura de economia, eficiência e longevidade dos resultados clareadores.

O clareamento com moldeira é muito utilizado pela sua facilidade e eficácia, que consiste em aplicação do gel clareador em uma moldeira de EVA (copolímero Etileno/Acetato de Vinila – Whiteness de 1 mm). Uma sugestão de protocolo é utilizar a moldeira com o gel 2 vezes por dia por 1 hora cada (total de 2 horas diárias), alguns estudos sugerem uma liberação grande e efetiva de oxigênio nos primeiros 30 minutos e depois baixa e linear, o uso da moldeira 2 vezes por dia é para aproveitar esta maior liberação. Alguns autores mostram que o clareamento de moldeira obtém uma menor recidiva e maior estabilidade na cor obtida, entretanto a técnica necessita da disciplina do paciente no uso da moldeira e demora em media de 2 a 6 semanas para atingir um resultado de excelência.

Com o clareamento em consultório temos um resultado mais rápido, de uma a duas sessões clínicas, sendo que em uma sessão aplicamos o gel por 3 vezes de 15 minutos, um total de 45 minutos do gel em contato com os dentes (Whiteness HP e Whiteness HP Maxx). Uma opção de técnica é utilizar o Whiteness HP Blue, que permite uma única aplicação clínica em uma sessão, sem a necessidade de troca do produto, de 50 minutos na concentração de 20% e de 40 minutos na concentração de 35%.

Segundo a literatura sabe-se que a utilização de fontes de luz no clareamento de consultório não altera o resultado final, por não promover clareamento, e pode até causar um aquecimento das estruturas dentárias, deixando sensibilidade residual. Nenhum dos produtos descritos anteriormente necessita do uso de fontes de luz para ter sua eficácia clínica.

A associação das duas técnicas é um dos protocolos mais interessantes, pois une as melhores características das técnicas: rapidez de resultado, longevidade clínica e estabilidade da cor final obtida.

Para evitar a sensibilidade podemos aplicar depois da sessão de clareamento de consultório o Desensibilize KF 2%, que tem uma ação neural do nitrato de potássio e oclusiva nos túbulos dentinários do fluoreto de sódio. Os clareadores para uso em moldeira já possuem em sua composição fluoreto de sódio e nitrato de potássio (Whiteness Perfect e White Class com cálcio), mas também podem ser associados com o uso de dessensibilizantes.

 Referencia Bibliográfica

Araújo, Danilo Barral de et all. Ação dos agentes clareadores contendo peróxido de hidrogênio e peróxido de carbamida sobre o esmalte dental humano: Rev. ciênc. méd. biol = J. med. biol.;6(1):100-121, jan.-abr. 2007.

Baratieri LN. Odontologia restauradora: fundamentos e possibilidades. São Paulo: Santos; 2003. p. 673-7 Khin, P.W. Avaliação clínica entre agentes clareadores dentáriosde peróxido de carbamida a 105 e a 15%. J Am Dent Assoc. (Brasil) 2001; 4: 88-93.

Conceição, EN. Clareamento dental. Dentistica saúde e estética. Porto Alegre. Artemed, 2007: 235-63.

Ruiz GAO, Sá FC. Clareamento caseiro em dentes vitais. RGO. 2003; 51(1): 19-22.

Haywood VB, Heymann O. Nightguard vital bleaching. Quintessence Int. 1989; 20(3):173-6

Papathanasiou A, et all. Clinical evaluation of a 35% hydrogen peroxide in-office whitening system. Compend Contin Educ Dent 2002;23(4):335-48

Yamaguchi R, Katoh Y. Effect oo Various Bleaching Tecniques on Tooh Shade. J. Dent Res 2004; 82:10-3

Zanin F, et all. Clareamento dental com e laser e led. RGO51(3):143-6