Cerâmicas: Protocolo clínico de cimentação adesiva sobre diferentes substratos

Dr. Leonardo Buso, Dr. Sanzio Marques e José Carlos Romanini
* Dr. Leonardo Buso: • Doutor em Prótese Dental (UNESP- São José do Campos) • Mestre em Prótese Dental (UNESP- São José do Campos) • Autor de vários capítulos de livros • Coordenador do Curso de Excelência em Odontologia Estética do IEO-Belo Horizonte • www.leonardobuso.com * Dr. Sanzio Marques: • Mestre em Dentística Restauradora (FO-UFMG) • Especialista em Prótese Dental (FORP-USP) • Autor do livro "Estética com resinas compostas em dentes anteriores: percepção, arte e naturalidade" • Coordenador do Curso de Excelência em Odontologia Estética do IEO-Belo Horizonte • www.sorrisobelo.com.br * José Carlos Romanini: Técnico em Prótese Dental (Londrina-PR)

A cimentação adesiva das restaurações cerâmicas oferece diversas vantagens, dentre elas, a atuação mecânica de dente e restauração como uma unidade. Um dos fatores mais importantes da cimentação adesiva refere-se ao tipo de superfície que atuará como base dentária e base restauradora. As superfícies mais comuns trabalhadas pelo dentista são estrutura dentária (dentina e esmalte), resinas compostas, cerâmicas de variadas composições, pinos de fibras, metal e ionômero de vidro. Cada um destes substratos pede um tipo específico de tratamento. O caso clínico descrito a seguir demonstra passo-a-passo as etapas clínicas de cimentação adesiva de coroa e laminados cerâmicos. Este caso foi realizado durante o Curso de Excelência em Odontologia Estética do Instituto de Estudos Odontológicos de Belo Horizonte.