Avaliação da resistência ao desgaste abrasivo de resinas compostas universais

FERREIRA, K.B.

Resumo:
 
O objetivo desse estudo, in vitro, foi avaliar a resistência ao desgaste abrasivo das resinas compostas universais Charisma/CH (Heraeus Kulzer), Esthet-X/EX (Dentsply Caulk), Fill Magic/FM (Vigodent), Filtek Supreme/SU (3M ESPE), Filtek Z100/ Z1 (3M ESPE), Filtek Z250/Z2 (3M ESPE), Herculite XRV/HE (Kerr Dental), Opallis/OP (FGM), Te-econom/TN (Ivoclar Vivadent) e Tetric Ceram/TC (Ivoclar Vivadent). Foram confeccionados 8 corpos-de-prova, na cor A2, com formatos cilíndricos (8,0 mm de diâmetro X 2,0 mm de espessura) de cada material. A resistência ao desgaste abrasivo foi avaliada através de análises das alterações na massa e na rugosidade superficial das amostras submetidas à escovação simulada. As mensurações iniciais (pré-escovação simulada) e finais (pós-escovação simulada)de massa foram obtidas através de balança eletrônica com precisão de 0,0001g. As aferições iniciais e finais da rugosidade superficial foram feitas com uma sonda mecânica de 5µm acoplada ao rugosímetro Perthometer S8P (Mahr), com velocidade constante de 0,15mm/s e força de 0,8mN, utilizando o parâmetro de medição Ra expresso em µm, com cut-off de 0,25mm e comprimento de avaliação de 1,25mm. O teste abrasivo foi realizado em uma máquina de escovação simulada, utilizando escovas dentais de cerdas macias e pontas arredondadas, sob 200g de carga, com velocidade de 374 ciclos/min e solução de dentifrício e água deionizada na proporção de 1:2. As amostras foram submetidas a 50.000 ciclos de escovação. As escovas foram substituídas a cada 25.000 ciclos e a solução foi constantemente reposta durante o teste. Para a avaliação das alterações decorrentes do teste abrasivo foram calculadas as diferenças entre as médias finais e iniciais de massa e de rugosidade superficial e os valores obtidos foram convertidos em porcentagem. Os dados foram analisados estatisticamente através dos testes t pareado, ANOVA, Scheffé e correlação de Pearson (p<0,05). Os resultados demonstraram que todos s materiais apresentaram redução estatisticamente significante da massa e aumento estatisticamente significante da rugosidade superficial após a escovação simulada (p < 0,0001). Considerando as alterações na massa, a ordem crescente de resistência à abrasão dos materiais avaliados foi (OP=Z2) > Z1 > TC > (HE=CH) > FM > TN > SU > EX. Com relação às alterações na rugosidade superficial, a ordem crescente de resistência à abrasão dos materiais avaliados foi EX > (HE = SU = TC = CH = FM) > (TC = CH = FM = OP) > (OP = Z2 = TN = Z1). Os métodos de avaliação de resistência ao desgaste não possuem correlação. Com base nos resultados concluiu-se que dentre as resinas compostas universais avaliadas existem diferenças na resistência à abrasão, entretanto, todas desgastam e ficam mais rugosas em conseqüência de forças abrasivas por escovação simulada. As alterações de massa e de rugosidade superficial das resinas compostas não estão correlacionadas.
 
Fonte: Dissertação (Mestrado em Odontologia – Área de concentração Dentística). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.118f.