Avaliação da liberação e recarga de flúor em cimentos de ionômero de vidro

SILVA, F.D.S.C.M.

Resumo:
 
O objetivo deste estudo in vitro foi avaliar a liberação de flúor de cimentos de ionômero de vidro convencionais (MAXXION R; VIDRION R; VITRO FIL; VITRO MOLAR; KETAC MOLAR; RIVA) e modificados por resina (VITRO FIL LC; VITREMER), antes e após a recarga com fluoreto de sódio neutro a 2%. Uma resina foi usada como grupo controle (Z-250). Cinco corpos-de-prova de cada material foram confeccionados, utilizando-se uma matriz de teflon, e imersos em 5,0 ml de água deionizada. Nos dias 1,2,3,5,7 e 14 foram realizadas aferições em eletrodo específico para determinação da quantidade de flúor liberado. No 15o dia os corpos-de-prova foram submetidos à aplicação tópica de gel de fluoreto de sódio neutro a 2% durante 4 minutos e em seguida foram lavados, secos e novamente imersos em 5,0 ml de água deionizada. Aferições da liberação de flúor foram realizadas nos dias 1,2,7 e 14 após a recarga. Os dados foram submetidos à análise de variância e aos testes de Tukey e de Student (p<0,05). Houve diferença estatística significativa entre os materiais antes e após a recarga. Os cimentos de ionômero de vidro convencionais apresentaram maior liberação de flúor nos períodos avaliados. Os materiais com maior liberação inicial de flúor foram MAXXION R> VIDRION R> VITRO FIL> VITRO MOLAR> VITRO FIL LC> RIVA> VITREMER> KETAC MOLAR> Z-250. Após a aplicação tópica de flúor, todos os materiais foram capazes de apresentar recarga de flúor. Concluiu-se que cimentos de ionômero de vidro são capazes de liberar flúor em água deionizada e podem recarregar flúor através de uma aplicação tópica de fluoreto de sódio neutro a 2%.
 
Fonte: Dissertação de mestrado. Faculdade de Odontologia da Paraíba (UFPB). João Pessoa, 2006, 94p.