Avaliação clínica do efeito de diferentes unidades de ativação sobre o clareamento dental

MARSON, F. C.

Resumo:
 
Este trabalho teve como objetivo avaliar clinicamente a alteração de cor e sua
estabilidade, a sensibilidade dental e a irritação gengival em pacientes submetidos ao
clareamento dental, variando a técnica clareadora e o uso de fontes catalisadoras.
Selecionados 50 pacientes com critérios preestabelecidos, os quais foram divididos
aleatoriamente em 5 grupos (n=10): G1 – Peróxido de Carbamida (PC) a 10%; G2 –
Peróxido de Hidrogênio (PH) a 35%; G3 – PH a 35% + Luz Alojem Curing Light XL
3000 (3M/ESPE); G4 – PH a 35% + LED Demetron (Kerr) e G5 – PH a 35% + Led/Laser
(Bio-art). Para os grupos G2, G3, G4 e G5 foram realizados 2 sessões de clareamento com
pH a 35% (intervalo de 1 semana), com 3 aplicações do gel em cada sessão. O grupo G1
foi clareado com peróxido de carbamida a 10% (2 h/dia) durante 14 dias. Para avaliação
da cor obtida antes e apos a 1a e 2a semana, 1o mês e 6 meses do tratamento clareador
foram utilizados dois métodos de avaliação: Espectrofotômetro VITA Easyshade Vita-
Zahnfabrik, Alemanha) e Escala de cor da Vita Classica (Vita-Zahnfabrik, Alemanha). A
hipótese de igualdade entre os grupos através dos testes de Anova e Teste de Tukey
HSD foi observada pelo Espectrofotômetro (p>0,999993) e Escala de cor (p>1,00000).
Concluímos que todos os agentes clareadores utilizados foram efetivos para o
clareamento dos dentes vitais. O tratamento clareador de dentes vitais através da técnica
no consultório com peróxido de hidrogênio a 35%, não melhorou com o uso de fontes auxiliares.
 
Fonte: Tese (Doutorado na área de concentração Dentística). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2006. 132f.