ASSOCIAÇÃO ENTRE RESINAS FLOW E CONVENCIONAIS EM RESTAURAÇÕES POSTERIORES

Marcos Barceleiro, Sthefane Brandão Barbosa, Luiz Augusto Poubel, Fernanda Signorelli Calazans.

SEXO E IDADE DO(A) PACIENTE:

Feminino, 22 anos de idade.

 

QUEIXA PRINCIPAL:

A paciente relatava hipersensibilidade ao frio no dente 16.

 

AVALIAÇÃO CLÍNICA/RADIOGRÁFICA INICIAL:

Presença de lesão cariosa na parede pulpar da cavidade, sob restauração já existente.

 

TRATAMENTO EXECUTADO:

Remoção da restauração antiga, remoção do tecido cariado e realização de nova restauração associando resina microhíbrida flow no fundo da cavidade e resina microhíbrida convencional no restante da restauração.

 

“O correto uso dos sistemas adesivos, conforme as instruções do fabricante, e a associação de resinas flow e resinas convencionais, permite uma melhor distribuição das tensões geradas durante a fotopolimerização das resinas, o que, em tese, aumenta a durabilidade das restaurações e diminui o risco de hipersensibilidade pós-operatória”.