Aperfeiçoando o sorriso com clareamento dental

Luis Gustavo Barrotte Albino, José Augusto Rodrigues
*Luis Gustavo Barrotte Albino - Mestre em Odontologia- área de Dentística e Professor da Universidade Guarulhos - UnG. e-mail: lgbarrote@prof.ung.br **José Augusto Rodrigues - Mestre e Doutor em Clínica Odontológica- área de Dentística e Professor da Universidade Guarulhos - UnG. e-mail: jrodrigues@prof.ung.br

RESUMO

O tratamento de dentes escurecidos por meio do clareamento dental é requisitado pela maioria dos pacientes. O clareamento dental externo oferece ao cirurgião-dentista uma forma conservativa, simples e de baixo custo para melhorar a estética do sorriso. As técnicas disponíveis atualmente incluem o clareamento realizado em consultório, o clareamento caseiro e a associação de ambas. Este trabalho descreve um caso clínico em que o paciente apresentava um grande escurecimento dental e foi realizado com sucesso o clareamento por meio da associação dessas técnicas caseira e de consultório.

INTRODUÇÃO

Há uma forte relação entre a aparência física do ser humano e sua atratividade social. Em muitos casos, a forma como o indivíduo é percebido em um ambiente ou em grupo pode influenciar de maneira significante sua interação e desenvolvimento social e intelectual.1 A face é uma das primeiras regiões do corpo a ser observada em um indivíduo e tem o poder de expressar uma série de sentimentos, sendo o sorriso um dos elementos mais importantes na forma de comunicação não verbal e na estética.2

O sorriso emoldura os dentes que podem assim como outros elementos da face podem denunciar a idade cronológica do indivíduo por meio de desgastes ou mesmo pela cor. Nesse contexto, dentes escurecidos são considerados desagradáveis pela sociedade, ao contrário de dentes brancos, considerados um sinal de jovialidade e saúde. Todavia, deve-se considerar que a cor dental é somente mais um componente que influencia na estética corporal e existem diversas pessoas belas que apresentam dentes escurecidos.

Contudo, quando o escurecimento dental afeta a convivência social pode-se indicar o clareamento dental externo.4 O clareamento dental externo é indicado para dentes vitais que apresentam escurecimento generalizado e tons acima da cor A3 na escala Vita ordenada pela luminosidade. É um procedimento extremamente conservador quando comparado a outras opções para sanar o escurecimento dental como facetas diretas e indiretas e coroas cerâmicas.4

Existem duas técnicas de clareamento externo, a que é realizada em consultório e a caseira.3-6 Na técnica em consultório os dentes são isolados e é aplicado o agente clareador pelo cirurgião dentista que tem controle direto sobre o tratamento. Já na técnica caseira o agente clareador é aplicado pelo próprio indivíduo utilizando moldeiras individuais no período noturno ou diurno. 3-6

O clareamento dental ocorrerá pela decomposição do agente clareador o peróxido de carbamida em peróxido de hidrogênio ou diretamente o peróxido de hidrogênio, que libera radicais livres (oxigênio e peridroxil) que reagem com as macromoléculas de pigmentos reduzindo-as a moléculas menores e mais claras.4 Além disso, quanto maior a concentração e frequência do peróxido de hidrogênio sobre os dentes, maior será a liberação de radicais livres e o efeito clareador.4

Baseado nessa premissa, em casos de escurecimento mais severo ou quando são necessários resultados mais rápidos pode-se optar por indicar a associação das técnicas caseira e de consultório,7 visto que a conclusão do tratamento clareador caseiro diário ou semanal em consultório ocorre somente após 3-4 semanas.7-8

Este trabalho apresenta o caso de um paciente que apresentava uma boa aparência física porém buscava melhorar seu sorriso por meio do clareamento dental externo.

RELATO DE CASO

Um rapaz de 35 anos apresentou-se no Ateliê Odontológico Dr. Luis Gustavo com o objetivo de clarear os dentes que apresentavam-se escurecidos, e com isso melhorar sua aparência física e consequente aceitação profissional em sua carreira como modelo (Figuras 1 e 2).

Ao exame clínico seus dentes possuíam uma coloração amarelada, classificada pela escala Vita em ordem de luminosidade como B3 nos incisivos e B4 nos caninos, provavelmente devido a pigmentação em função do consumo de alimentos e bebidas com corantes da dieta (Figura 3 e 4). Este tipo de escurecimento possui um bom prognóstico.4Como o paciente desejava um tratamento rápido foi proposto a associação da técnica caseira utilizando peróxido de hidrogênio 7,5% (White Class 7,5% –  FGM) com a de consultório utilizando peróxido de hidrogênio 35% (Whiteness HP Blue).

Após a execução do registro de cor e do protocolo fotográfico, os arcos superior e inferior foram moldados com material a base de alginato e modelos foram vazados em forma de ferradura para a confecção de moldeira individuais (Figura 5). Esta moldeira foi recortada acima do colo dos dentes, testada para verificar se não havia ponto de contato prematuro (Figura 6). Em seguida foi recomendado ao paciente que antes de realizar o clareamento no período noturno, higienizasse os dentes por meio de escovação e fio dental.  Para a aplicação do agente clareador deveria ser colocada uma gota na vestibular dos dentes anteriores e pré molares das moldeiras, e em seguida elas deveriam ser inseridas nas arcadas e verificada a presença de excesso de agente clareador para remove-lo.

Após o uso das moldeiras, essas deveriam ser lavadas, os dentes higienizados e que caso ocorresse qualquer problema, esse deveria ser comunicado ao cirurgião-dentista.

Nessa mesma sessão, com o auxílio de um afastador de lábios os dentes escurecidos foram isolados com uma barreira gengival composta de uma resina fluída fotoativável (Top Dam – Figura 7), que foi aplicada sobre a face vestibular de cada dente e ativada pela luz de um aparelho LED (Figura 8). Foi aplicada uma camada do agente clareador a base de peróxido de hidrogênio a 35% (Whiteness HP Blue – Figura 9).

Esse sistema clareador apresenta como vantagem sua forma pré dosada, que evita desperdícios e possibilita ser aplicado diretamente da seringa através de uma ponteira. Além disso, é apresentado em duas seringas, uma contento o peróxido de hidrogênio e outra o espessante, sendo que após o acoplamento das seringas pode-se facilmente misturar as duas fases garantindo perfeita homogeneização.

Dessa forma, para o preparo do gel as duas fases com as seringas foram conectadas, e os êmbolos foram empurrados alternadamente por 15 vezes, e então toda a misturado foi empurrada para a seringa transparente que permite o controle visual da quantidade de produto durante a aplicação.

Esse agente clareador permaneceu em ação por 50 minutos, em seguida, foi removido com sucção e jatos de água-ar (Figura 10). Foi solicitado o retorno do paciente após uma semana.

No período de sete dias, foi constatada mudança de cor nos dentes escurecidos, luminosidade próxima a C2 na escala Vita (Figura 11), porém esse clareamento ainda estava insatisfatório para o paciente, que recebeu mais uma aplicação de uma hora. O mesmo ocorreu na segunda reavaliação, que a luminosidade dos dentes se aproximava a B2, sendo o tratamento concluído na terceira reavaliação em que foi observado que tanto os incisivos quanto caninos apresentavam luminosidade semelhante a B1 da escala Vita. Assim, o tratamento clareador foi concluído com 11 dias de clareamento caseiro e três sessões de consultório (Figuras 12 e 13).

DISCUSSÃO

O clareamento dental vem se tornando um procedimento popular e muito requisitado pelos pacientes. Clinicamente ele oferece uma melhora da estética do sorriso sem a necessidade de procedimentos invasivos como a confecção de coroas ou facetas.4,10  Essa demanda pela estética por parte dos pacientes e dentistas tem estimulado cada vez mais o aperfeiçoamento dos agentes clareadores de forma que resultados sejam obtidos de forma mais rápida.

Como o clareamento dental ocorre pela degradação das moléculas de pigmentos por radicais livres gerados da decomposição do peróxido de hidrogênio, quanto maior a frequência, concentração e reatividade desse agente sobre os dentes, maior será o efeito clareador.4,10

Dessa forma, vários sistemas clareadores estão disponíveis para os cirurgiões dentistas com pequenas variações na técnica de aplicação mas que garantem que no final do tratamento, que pode envolvem maior ou menor intervalo de tempo, haja um resultado efetivo.3,10

Tradicionalmente os cirurgiões dentistas indicam a técnica de clareamento dental externo caseiro com peróxido de carbamida 10%. Essa técnica oferece segurança, efetividade e baixo custo, porém, requer de 3 a 6 semanas de tratamento por arcada dental, podendo estender-se a até 6 meses em casos de manchas por tetraciclina mais severas.8,11

Entretanto, como paciente relatou urgência no tratamento clareador, devido a questão profissional, optou-se pelo clareamento associado da técnica caseira (Figura 14) com a de consultório (Figura 15) visto que o paciente apresentava um elevado escurecimento dental. Estudos relatam que a associação de técnicas pode resultar em um clareamento efetivo em menor tempo, contudo essa vantagem de obter-se resultados mais rápidos em um menor intervalo de tempo também aumenta os efeitos indesejáveis como a sensibilidade dental apresentada pelo paciente.8,11

Devido ao baixo peso molecular, os agentes clareadores transitam facilmente pelo esmalte e dentina até alcançar a polpa dental. No tecido pulpar os agentes clareadores um processo inflamatório,12 tornando os dentes mais sensíveis e com uma prevalência de aumento proporcional ao aumento da frequência e concentração do gel clareador.11-13

Como a sensibilidade dental causada pelo tratamento clareador é temporária e cessa com a eliminação natural dos subprodutos dos agentes clareadores pela polpa, foi solicitado ao paciente que intercalasse as noites de tratamento caseiro, para dar condições que a polpa restabeleça seu estado de normalidade.

Com essa redução de frequência de aplicação intercalando um dia de aplicação com um de descanso o paciente conseguiu reduzir a sensibilidade dental e pode após 3 semanas obter com sucesso o clareamento dental desejado. Obteve-se então uma excelente integração dos dentes clareados no sorriso em harmonia com a face (Figura 16).

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Com base nos achados clínicos descritos no presente trabalho, pode-se inferir que quando há a necessidade de clareamento de dentes escurecidos em  um curto intervalo de tempo, os cirurgiões dentistas podem optar pela associação das técnicas de clareamento externo de consultório e caseira e empregar géis clareadores com concentrações mais elevadas para suprir os anseios dos pacientes. Entretanto, deve-se considerar a real necessidade do caso buscando a melhor técnica de tratamento com a menor possibilidade de efeitos indesejáveis, pois com o aumento da frequência e da concentração dos géis clareadores, possivelmente aumentará o risco dos dentes tornarem-se mais sensíveis durante o tratamento ressaltando-se que agentes clareadores em menor concentração necessitam apenas de um maior intervalo de tempo de tratamento clareador para alcançarem resultados tão efetivos quanto os dos agentes de maior concentração.

REFERÊNCIAS

1. Henson ST, Lindauer SJ, Gardner WG, Shroff B, Tufekci E, Best AM. Influence of dental esthetics on social perceptions of adolescents judged by peers. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 2011 Sep;140(3):389-95.

2. Chang CA, Fields HW Jr, Beck FM, Springer NC, Firestone AR, Rosenstiel S, Christensen JC. Smile esthetics from patients’ perspectives for faces of varying attractiveness. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 2011 Oct;140(4):e171-80.

3. Rodrigues JA, Amaral CM, Marchi, GM, Pimenta, LAF. Associação do clareamento de consultório ao caseiro rápida mudança estética. ABO Nacional 2006;14:248-253.

4. Goldstain & Garber. Complete Dental Bleaching. Quintessence book. 1995; 165p.

5. Haywood VB. History, safety, and effectiveness of current bleaching techniques and applications of the nightguard vital bleaching technique. Quintessence Int. 1992 Jul;23(7):471-88.

6.  Haywood VB, Heymann HO. Nightguard vital bleaching. Quintessence Int. 1989 Mar;20(3):173-6.

7. Kugel G, Perry RD, Hoang E, Scherer W. Effective tooth bleaching in 5 days: using a combined in-office and at-home bleaching system. Compend Contin Educ Dent. 1997 Apr;18(4):378, 380-3.

8- Ritter AV, Leonard RH Jr, St Georges AJ, Caplan DJ, Haywood VB. Safety and stability of nightguard vital bleaching: 9 to 12 years post-treatment. J Esthet Restor Dent. 2002;14(5):275-85.

9- Kihn PW, Barnes DM, Romberg E, Peterson K. A clinical evaluation of 10 percent vs. 15 percent carbamide peroxide tooth-whitening agents. J Am Dent Assoc. 2000 Oct;131(10):1478-84.

10- Leonard RH, Sharma A, Haywood VB. Use of different concentrations of carbamide peroxide for bleaching teeth: an in vitro study. Quintessence Int. 1998 Aug;29(8):503-7.

11- Matis BA, Wang Y, Eckert GJ, Cochran MA, Jiang T. Extended bleaching of tetracycline-stained teeth: a 5-year study. Oper Dent. 2006 Nov-Dec;31(6):643-51.

12- Seale NS, McIntosh JE, Taylor AN. Pulpal reaction to bleaching of teeth in dogs. J Dent Res. 1981 May;60(5):948-53.

13- Zekonis R, Matis BA, Cochran MA, Al Shetri SE, Eckert GJ, Carlson TJ. Clinical evaluation of in-office and at-home bleaching treatments. Oper Dent. 2003 Mar-Apr;28(2):114-21.